Sorgo, uma opção sem glúten: O que é e para que serve?

26-10-2020

O sorgo é um cereal que faz parte das dietas da África, parte da Ásia e da América do Sul há décadas. Pode ser uma opção para substituir o trigo em vários produtos de panificação, pois é livre de glúten. Dietas sem glúten só se justificam para pessoas que têm uma intolerância a esta proteína de trigo. Para eles, o sorgo pode ser um bom substituto.

O sorgo assado contém 10g de proteína por meia taça, é uma boa fonte de fibra e tem os mesmos antioxidantes que o vinho (taninos), embora em quantidades menores. Possui também antocianinas e fenóis. Estas características ajudaram a deixar de ser a matéria-prima para a alimentação do gado e se tornar uma alternativa aos cereais que contêm glúten, como trigo, cevada e centeio.

Aumentar o consumo de grãos e cereais é bom para a saúde porque aumenta a quantidade de fibra que obtemos da dieta. Isto se traduz em uma melhor função intestinal. Além disso, em alguns casos, a fibra é uma boa aliada para a perda de peso porque dá uma maior sensação de saciedade.

Por outro lado, a fibra é um elemento importante no controle dos níveis de glicose no sangue. Testes com sorgo mostraram que o consumo de sorgo reduz os picos de insulina e a resposta glicêmica, mais do que o milho ou o arroz.

Os antioxidantes presentes no sorgo, são preventivos de doenças cardiovasculares. Portanto, este grão é uma opção que podemos incluir na dieta, para obter estes benefícios.

É importante considerar que as formas como o sorgo é cozido podem afetar algumas de suas características. Por exemplo, se for cozido úmido, sua digestibilidade diminui. Mas o sorgo pode ser usado em saladas ou sopas, e até mesmo para fazer pipoca.

Devido às suas propriedades nutricionais, bem como à forma como se comporta quando incorporado aos produtos cozidos, o sorgo é uma boa escolha para aumentar a qualidade nutricional da dieta e como uma alternativa ao glúten.

A substituição do trigo visa oferecer uma opção às pessoas que sofrem de doença celíaca, ou seja, uma alergia ao glúten cuja característica é que o sistema imunológico está envolvido. Para eles, o único tratamento é uma dieta sem glúten.

Há também aqueles que têm intolerância ao glúten que se manifesta como problemas digestivos, inflamação ou dor abdominal, diarréia, irritabilidade ou um nível moderado de depressão. Neste caso, a recomendação é diminuir a quantidade e a freqüência do consumo de produtos com trigo, cevada e centeio.

Esta planta tem uma tolerância inerente à seca e pode prosperar em condições de cultivo que parecem muito hostis a outras culturas. Com um pouco mais de pesquisa e divulgação, o sorgo poderia se tornar uma cultura extremamente valiosa que poderia ajudar a alimentar o mundo no futuro, numa época em que enfrentamos insumos e água limitados.